sexta-feira, 9 de setembro de 2011

CONHECENDO UM POUCO MAIS SOBRE A LATERALIDADE.


Vimos na postagem anterior que, para aprender a ler e a escrever, as crianças precisam ter maturidade. Ter maturidade significa "estar pronta neurologicamente, que por sua vez, significa "ter adquirido certas habilidades". E uma dessas habilidades é a lateralidade ou dominância lateral, que vem a ser a possibilidade de utilizar, com mais habilidade, um dos lados do corpo. Essa possibilidade é importante porque envolve a força muscular, mais agilidade e rapidez na execução das tarefas. Como é uma determinação cerebral (não vontade dos sujeitos), esse lado sempre iniciará e executará melhor as atividades. 

Por ser uma questão cerebral, decorrem daí algumas influências quanto a PREVALÊNCIA – que traz implicações sociais e psicológicas para os sujeitos envolvendo a aceitação, a auto-estima e a autoconfiança, e quanto a DOMINÃNCIA -  que traz implicações orgânicas e a significação a nível pessoal.

Não basta que saibamos se as crianças são destras ou canhotas. Há muito mais que deve ser levado em conta. Sabemos que os destros usam a mão direita como preferencial. Mas não é só: o olho e o pé também estão em jogo. Os canhotos usam o olho, a mão e o pé esquerdo como preferenciais. Os ambidestros usam os dois olhos, as duas mãos e os dois pés com igual habilidade, pois sua dominância ocorre nos dois lados do cérebro simultaneamente.

Mas, destros ou canhotos podem ter uma dominância homogênea ou cruzada. Na dominância homogênea destros e canhotos usam olho, mão e pé do lado dominante. Na dominância cruzada, eles usam o olho e a mão do lado dominante e o pé do lado auxiliar ou vice-versa.

Vivemos numa sociedade em que a maioria das pessoas é destra. Poucos são canhotos e, em número bem reduzido, os ambidestros. De acordo com a prevalência, muitas sociedades, famílias e escolas têm rejeitado crianças canhotas e muitos abusos se têm cometido. Hoje, um pouco menos que no passado, é verdade.

Chamamos de LATERALIDADE CONTRARIADA  quando motivos sociais ou uma situação fazem com que o sujeito seja “OBRIGADO” a usar o lado contrário ao dominante como preferencial. Muitas sociedades que excluem sujeitos canhotos, os pais e professores os forçam a utilizar a mão direita auxiliar como preferencial para que não sejam rejeitados ou banidos. Hà muitas famílias que  se sentem envergonhadas ou incomodadas só porque o filho é canhoto e exigem que ele use a mão direita como preferencial para escrever, comer, recortar etc.   Outras situações também provocam a contrariedade lateral, como AVC (acidentes vascular cerebral), amputações e certas paralisias. A nível pessoal, o próprio sujeito pode contrariar sua lateralidade, como  por imitação ou por problemas afetivos.

A contrariedade lateral nunca é benéfica e provoca muitos prejuízos para os sujeitos como por exemplo: a diminuição da habilidade manual envolvendo prejuízos no ritmo, na agilidade e força muscular e facilitando o surgimento de sincinesias (movimentos parasitários). Traz ainda prejuízos como atrapalhar as funções cerebrais, o ajuste emocional, atrasos de linguagem e alterações na escrita.

Qualquer perturbação na dominância lateral (que começa a definir aos 3 anos de idade e se completa aos 7 anos) acarretará dificuldades para as aprendizagens escolares, seja a nível espacial, seja na leitura, na escrita ou nos cálculos.

Os prejuízos a nivel da estrutura espacial são: dificuldade em se orientar no ambiente; desorganização generalizada dos materiais pessoais; são pessoas estabanadas que derrubam objetos, esbarram em móveis e carteiras, quebram objetos etc.

Os comprometimentos na leitura são: dificuldades na aprendizagem da direção gráfica; dificuldade em aprender os conceitos de direita e esquerda; comprometimento da leitura; no ritmo da execução das tarefas; perda de força muscular; dificuldades na precisão dos movimentos.

Os comprometimentos na  escrita são: má postura; dificuldade na coordenação motora fina; dificuldade em discriminar visualmente; letra angulosa e irregular;  dificuldade em encontrar o lugar onde parou e por isso  pulam pedaços quando copiam); dificuldades de linguagem; perturbações afetivas; dificuldades no sono, dificuldades em manter a atenção, gagueira e sincinesias.

O que são sincinesias?
Sincinesias são movimentos parasitários sem nenhum valor para o movimento principal. Muitos, as confunf=dem com manias ou tiques como colocar a língua para fora ou movimentá-la quando recorta papel ou tecido ou martelar um prego; enrolar o cabelo ou segurar a ponta da orelha enquanto lê; movimentar a perna com movimentos repetitivos e rápidos enquanto conversa com alguém; alisar uma mexa de cabelo ou coçar a cabeça quando o sujeito está falando, colocar a mão na cintura quando fica em pé, etc. Manias e tiques são coisas diferentes.

Há dois tipos de sincinesias mais graves e de origem neurológica:

a)    A SINCINESIA DE IMITAÇÃO – um membro (braço ou perna) faz um movimento. O outro repete a mesma seqüência assim que o movimento anterior cessa,
b)   A SINCINESIA AXIAL OU DE COORDENAÇÃO – uma pessoa abre e fecha a boca várias vezes. Esse movimento é repetido por uma ou por ambas as mãos. Ou, a mão faz o movimento e a boca repete.

Um comentário: