sábado, 20 de agosto de 2016

EXERCÍCIOS PERCEPTIVOS PARA A DISGRAFIA (parte 4)

Com estes exercícios podemos trabalhar tanto os problemas perceptivos (que envolve o traçado de letras e números) quanto os motores que causam a disgrafia. Podemos trabalhá-los em folhas soltas ou no caderno que seu aluno costuma usar.

TRABALHANDO A FREIO MUSCULAR

Há crianças que, quando escrevem, o fazem emendando uma palavra na outra. Ao escrevermos, seja na forma cursiva ou com a letra de imprensa ou bastão, é preciso deixar um espaço entre as palavras. O que parece normal para a maioria da população escolar podem não ser para algumas crianças.


Há várias causas para que isso aconteça: seja porque a trava muscular das mãos funciona deficitariamente e ela não consegue parar, ou porque não consegue perceber o final da palavra porque quando fala, diz uma porção delas ao mesmo tempo.

Um bom exercício para corrigir esse problema você pode imprimir ou desenhar um quadriculado numa folha ou caderno e pedir que a criança pinte um quadradinho e deixe o outro vazio. A medida que for ficando fácil para ela, aumente a quantidade de quadradinho a serem pintados, mais 1 por vez, mantendo sempre um quadradinho em branco (medida do espaço das palavras). Repita até que se tornem fácil e aumente mais uma. E assim por diante, até uma quantidade de 5 ou 6 coloridos por 1 em branco. Os quadradinhos se assemelham as sílabas que as palavras possuem.

Cada linha é um exemplo diferente.

Outra variação é misturar a quantidade de quadradinhos a serem pintados, como por exemplo: 2, 4, 1, 3 por um sem pintar. Esta forma assemelha-se ás palavras em uma frase.

Um jogo que também trabalha o freio muscular é o jogo dos pontinhos. Pode ser feito em qualquer tipo de papel ou no caderno e é bem divertido. Podem se feitos muitos pontos ou poucos pontos (no aprendizado do jogo). Ele consiste em um jogo de duplas, onde as estratégias de jogo se desenvolvem com a repetição e da vontade de ganhar. 

 
                     Tabuleiro                                                              jogo

As regras, para quem não o conhece, são:

1- cada jogador liga dois pontos na horizontal ou na vertical, em qualquer parte do tabuleiro e passa para o adversário que faz o mesmo.

2- caso feche um quadradinho, coloca a inicial do seu nome ou pinta com uma cor pré-determinada. Pode ser discutida a vantagem de ter uma nova jogada para cada quadrinho feito.

Ao final do jogo, quem tiver mais quadradinhos com o seu nome ou cor, vence a partida.


TRABALHANDO O TRAÇADO DE LETRAS CURSIVAS

Antes é preciso lembrar que a maioria das consoantes cursivas possuem movimentos iniciais baseados nos movimentos do traçado das vogais “a, e, i”. Por exemplo: os movimentos básicos do “a” cursivo aparecem nas seguintes consoantes: “c, d, g, o, q”. Com o “e” traçamos o “l, b, f, h, k”. Com o “i”, traçamos o “u, t, j”. Daí saltamos para “n, v, w, y” cujos movimentos iniciais são semelhantes. E finalmente, trabalhar o grupo “r, s, z”, únicas letras com movimentos iniciais diferenciados. Assim, trabalhando os movimentos básicos de cada vogal fica mais fácil e mais rápido para que crianças e jovens possam diferenciar uma letra da outra. 
Os exercícios são simples, fáceis e gostosos de fazer. Podem ser bem divertidos dependo da sua criatividade.

Se você quiser começar a trabalhar pela a vogal “a”, é preciso lembrar que o movimento básico dessa letra na forma cursiva é um círculo. Sendo assim, nada mais fácil que...

 a) COLORIR BOLINHAS – Desenhe numa folha ou no caderno uma série de bolinhas e peça para a criança as pinte. Pode ser pintado numa cor só ou com 2 ou 3 cores (caso queira fazer um treino de preensão do lápis). Neste caso, fique de olho para que peguem o lápis da maneira correta cada vez que trocar de cor.


VARIAÇÃO – Você pode deixa-lo mais divertido, se você usar outras formas (quadrado, retângulo, triângulo, em forma de bichinhos ou uma outra forma irregular qualquer).

b) COLORIR BOLHINHAS COM MOVIMENTOS DIFERENTES – Faça como no exercício anterior. Desta vez, porém, serão usadas 2 cores. Por ex: colorindo de azul com movimentos da direita para a esquerda e de azul, da esquerda para a direita. Mas verifique se estão variando os movimentos.

VARIAÇÃO - pode se fazer também uma volta para a esquerda e outra para a direita, deixando o número de vezes maior para aquela em que a criança encontra maior dificuldade.

c) DESENHAR BOLINHAS – Desenhe pontinhos numa folha ou caderno com um bom espaço com eles. Marque a direção (esquerda ou direita) que devem seguir para traçar o círculo, com uma pequena flecha. E deixe a criança trabalhar, mas de olho verificando a correção do movimento.


VARIAÇÃO - Pode-se variar na forma (quadrados, triângulos, losângo etc)


d) COBRIR LINHAS PONTILHADAS – Trace várias linhas do caderno com letras “a” unidas umas as outras (imitando a escrita) com linha pontilhada ou com pequenos tracinhos. Com um lápis colorido (ou caneta hidrocor), a criança deve unir esses pontos (ou traços) sem tirar o lápis do lugar.

  


VARIAÇÃO - Pode-se usar objetos para este exercício, como bolinha de gude, bonecos, barquinhos de papel  e tudo mais que sua imaginação desejar. Ou passa o lápis primeiro e depois um ou dois objetos diferentes.



e) Como a mesmice cansa, desagrada e desanima. E para dar uma cara nova ao exercício, você pode usar sua imaginação e criatividade inserindo algo novo, como por exemplo, traçar no caderno a letra trabalhada com linhas duplas e deixando entre elas um espaço. No centro desse espaço você pode colocar tracejado, pontos, bolinhas para que as crianças os uma e assim aprendem a traçar a letra isoladamente. Pode ainda colar sementes, flores, pedrinhas, colar areia ou algodão desde que o sentido do traçado seja respeitado. Vejam alguns exemplos:

 

f) a)    COSTURANDO A LETRA – Em um pedaço de madeira ou papelão grosso trace a letra trabalhada em linha dupla, com 1,5 ou 2 cm distante uma da outra. Faça furos sobre os traços (ou no centro se preferir), para que por eles seja possível passar um cordão de tênis (barbante ou fita fina). Use uma das pontas do cordão (ou passe cola se não usar o cordão) como agulha  e dê um nó reforçado na outra ponta. Assim, em movimentos de alinhavos as crianças traçam a letra no sentido do traçado.



Todos estes exercícios trabalham os movimentos de traçado de todas as letras, o freio muscular e da preensão. E não esqueça que não é fazer uma única vez e pronto. Nada disso. São necessárias várias repetições do exercício, mas com criatividade e imaginação que sei que você é capaz.

Até a próxima postagem com mais sugestões.



Nenhum comentário:

Postar um comentário